domingo, 4 de novembro de 2012

Tutorial AVR: Parte 1 - Introdução

Todo mundo que começa a se a aprender sobre eletrônica fica realmente fascinado quando descobre os microcontroladores, bom, pelo menos eu fiquei. As possibilidade de modificar o seu projeto de diversas maneiras sem ter que refazer a placa, muitas vezes até fazendo com que a mesma placa tenha duas funcionalidades muito distintas. Sem falar nas opções que estão disponíveis no mercado: 8bits, 32bits, com comunicação serial, i2c, spi, leitores AD e muito mais.
Fig 1 - Atemga8

Essa sequencia de tutorias será voltada para a família Atmega da Atmel, mais especificamente o Atmega8 (já que eu tenho alguns aqui em casa). Mas porque eu selecionei esses  microcontroladores? O primeiro motivo é que esses foram os primeiros microcontroladores que eu tive contato. Segundo porque eles são baratos e fáceis de achar no Brasil (essa segunda parte é muito importante). Terceiro porque o compilador fornecido pelo fabricante é em C, gratuito e realmente muito bom. Quarto porque existem diversos modelos de placas de gravação disponíveis a um custo baixo ou fáceis de montar em casa. E por último, porque existe muita informação na internet  disponível sobre esses microcontroladores.

E agora? Por onde começar? O que preciso saber?

  • Programação em C - As duas linguagens de programação mais comuns para microcontroladores são Assembly e C. Assembly é uma linguagem de muito baixo nível, a qual desaconselho fortemente o seu uso, a não ser que seja uma aplicação muito crítica (normalmente considerando o tempo de execução) ou se alguém for sadomasoquista. C é uma linguagem de programação bem popular e razoavelmente fácil de aprender, talvez de pra aprender alguma coisa se for seguindo a série de tutoriais que vou fazer, mas aconselho procurar algum tutorial básico de C antes de começar.
  • Conhecimentos básicos de eletrônica - Estou assumindo que qualquer pessoa que deseje aprender sobre microcontroladores sabe o básico de eletrônica, ex: o que é e como usar um resistor, um LED, um capacitor, saber usar um transistor como chave liga e desliga, etc.
  • Baixar e instalar o compilador - Infelizmente o compilador fornecido pelo fabricante só funciona para Windows, mas existe um alternativo muito bom para Linux (AVR-GCC), que está disponível no repositório. O problema de usar o AVR-GCC é que ele não possuiu interface gráfica, o que para a maioria dos usuários de Linux não é um problema, e toda a parte de Makefile precisa ser feita na mão, se bem que existem vários modelos disponíveis online.
  • Adquirir ou montar uma placa de gravação - Vou dedicar um tutorial (Parte 2) somente para as placas de gravação.
  • Adquirir microcontrolador e componentes básicos - Fazer programas para microcontrolador, compilar e rodar em um simulador não é muito interessante, mas é sempre uma opção. Eu particularmente gosto de ver os circuitos funcionando nem que seja na protoboard. Para começar eu aconselho adquirir pelo menos uma protoboard pequena, uma fonte de 5V, resistores de valores diversos (1k, 10k e 100k são os mais básicos) e alguns LEDs. Capacitores, transistores, cristais (entre 1MHz e 16MHz), MAX232 (comunicação serial, precisa de alguns capacitores de valores específicos para funcionar) e potenciômetros são desejáveis.



Nenhum comentário:

Postar um comentário